BLOG

Saiba como se proteger de fraudes em serviços financeiros digitais

Com o surgimento e explosão das fintechs e a ampliação dos serviços financeiros digitais, também aumentaram as fraudes no ambiente virtual.  Só em 2015, segundo dados do CERT.br (Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil), o número de fraudes corresponderam a quase 25% do total de incidentes reportados na internet no Brasil. Desses, mais de 40% são de páginas falsas.

De fato, quando se fala em valores financeiros, os usuários precisam ficar ainda mais atentos às páginas que visitam e se seus dados estão sendo enviados para empresas legítimas.

As dicas a seguir podem ajudar você a se proteger e evitar ser vítima de fraudes em serviços digitais financeiros ou de qualquer espécie.

1) Verifique o CNPJ da empresa

Essa é uma prática básica quando se inicia o relacionamento com uma empresa. É o primeiro passo para saber se a empresa prestadora do serviço existe. Toda a empresa registrada no país deve, por lei, ter suas informações disponíveis para os cidadãos. Por isso, essa verificação pode ser feita facilmente no website da Receita Federal:

http://www.receita.fazenda.gov.br/PessoaJuridica/CNPJ/cnpjreva/Cnpjreva_Solicitacao2.asp

2) Verifique se a página tem certificado de segurança ativado, identificado com o nome da empresa

As páginas de empresas de confiança sempre são acessadas através de endereços HTTPS (protocolo de conexão segura) e têm um certificado de segurança ativado. Podemos saber se ele existe e está ativado procurando por um cadeado verde com o nome da empresa, que fica do lado esquerdo do endereço da página.

São dois níveis de proteção: o cadeado verde diz que as informações transmitidas e recebidas são codificadas e protegidas, e a identificação garante que a página é mesmo da empresa em questão.

3) Verifique o tempo de registro do domínio

Domínios muito recentes, com registro de muito pouco tempo, têm maior a chance de serem parte um golpe. Todo o domínio pode ter seu registro consultado nos endereços a seguir:

https://registro.br/cgi-bin/whois/ (para dominios .br, brasileiros)

https://www.whois.net/ para (.com, .net, .org e outros, internacionais)

4) Visite as redes sociais e outras referências da empresa na Internet

Redes sociais e até mesmo sites especializados como o Reclame Aqui servem de referência na hora de escolher o empréstimo pessoal ou qualquer outro serviço. Essas plataformas são aliadas na hora de avaliar a credibilidade e reputação da companhia no mercado.

5) Veja se o site não está na lista negra de fraudadores

sites especializados que divulgam periodicamente listas contendo golpes que estão sendo aplicados e seus respectivos conteúdos. Alguns destes sites são:

Monitor das Fraudes: http://www.fraudes.org/

Quatro Cantos: http://www.quatrocantos.com/LENDAS/

Catálogo de Fraudes da RNP (Rede Nacional de Ensino e Pesquisa): http://memoria.rnp.br/cais/fraudes.php

6) Atenção com a função de preenchimento automático de seus dados

Websites seguros não costumam permitir que os dados do usuário fiquem gravados no computador e os formulários sejam preenchidos automaticamente, caso você volte a acessá-los. Fraudadores costumam ir atrás dessas páginas, para testar combinações de dados e assim conseguir chegar até o cliente e consequentemente, seus dados.

7) Verificar a empresa junto ao Banco Central é fácil e necessário

Se você não conhece a empresa que está oferecendo o crédito, busque informar-se com o Banco Central. Isso pode ser feito ligando para o número 145 ou pelo site da instituição. Ele informará se a financeira tem autorização ou não para realizar tais operações.

Marco Andrei Kichalowsky

Marco Andrei Kichalowsky, diretor de marketing na Arsnova Digital, é especialista em marketing digital e articulista de revistas de tecnologia. Fale comigo no e-mail falecom@arsnova.digital.

Voltar

Comentários

  • (will not be published)